3.4.17

.








porque já não nos pertence 
o tempo sem movimento
onde as janelas vão dar sempre
para o mesmo lugar

porque não nos cabe mais
essa lonjura de clima
ameno a despedaçar
com lábios acesos 
trajetos mal elaborados
infinitamente

sem dor alguma
é no horizonte
entre as ruínas dessa avalanche 
e o nada
que se projeta
o nosso último poente








Um comentário:

© Piedade Araújo Sol disse...

e quem disse que é o ultimo poente?!
por vezes pode ser o anteceder de todos os poentes!
beijinhos
:)

.

se acaso for de amar o sorriso que te veste   me chame de mãos dadas pouco a pouco na alegre  ventura de olhar para...