8.3.17

.









vejo -te melhor agora 
que as ruas ficaram vazias
e as sombras esconderam -se
sob as árvores

em dias assim

costumo visitar os teus olhos
(com cautela)
para que eles não me ceguem
e não sangrem a mais
clandestina das palavras
pois
há tanto sol a me devolver
à luz

nem sempre me acolhem
ou me decifram
os enigmas do caminho 
mas 
como esse céu de quase outono 
tremelicam 
em asas transparentes
feito água de beber



2 comentários:

Mar Arável disse...

Belo e tranquilo texto
com olhos de ver
Bj

© Piedade Araújo Sol disse...

no final, a transparência do olhar
feito água
feito luz

saudações poéticas

:)

.

se acaso for de amar o sorriso que te veste   me chame de mãos dadas pouco a pouco na alegre  ventura de olhar para...