27.3.17

.







já não mitificam
as aves antigas
ao meu encontro

sequer andam comigo
em meu refúgio
pela manhã

digo que são agora imagens
de contornos imprecisos
que rodopiam em minha pele
a traquinice das suas 
sombras

e aos que acreditam
serem espinhos os gestos
que me saltam dos pulsos
direi apenas
que também pode ser 
atilado o amor

mas sem o seu rosto
meu amor
sem o seu rosto
(seiva elaborada
de todos os meus instantes)
de que outro modo
ascenderei aos desígnios
impávidos neste solitário
voo?


2 comentários:

manuela barroso disse...

O voo do pássaro , o voo do amor .
Sombras que também são presença .
Belo , Sofia
Beijo *

© Piedade Araújo Sol disse...

mas..sem rosto, também podemos
sonhar o amor
ou abrir as lembranças do que poderia ter sido
esse
rosto!

muito belo!

:)